terça-feira, 24 de janeiro de 2012

2012 sem apocalipse. Só chegaremos perto

A Europa continua próxima demais do abismo. Se cair, arrasta boa parte da economia mundial. Segundo reportagem de André Barrocal publicada em 29/12 no portal Carta Maior:
Quase metade das dívidas que Itália, Grécia, Portugal, Irlanda e Espanha terão de liquidar no ano novo vencerá entre janeiro e abril. Serão 283 bilhões de euros, de um total de 613 bilhões a pagar em 2012.
Notícia nada animadora. Assim como é assustador um ótimo artigo de Mike Davis publicado pela revista The New Left Review. Com o título “A primavera encontra o inverno”, foi reproduzido pelo jornal O Estado de S. Paulo em 22/01. Alguns trechos:

Enquanto a explosão em Wall Street, em 2008, foi antecipada por vários especialistas, com maior ou menor precisão, o que agora se aproxima rapidamente está muito além da capacidade de previsão de qualquer cassandra ou de três Karl Marx.

Se um apocalipse neoliberal está realmente por perto, Washington e Wall Street serão considerados os principais anjos exterminadores, por explodirem ao mesmo tempo o sistema financeiro do Atlântico Norte e o Oriente Médio (e ainda destruíram qualquer chance de frear o desastre climático).

É quase uma tautologia observar que, em países do bloco BRICS, onde as expectativas populares de progresso econômico foram recentemente alçadas tão alto, a dor da "repauperização" pode ser intolerável. Milhares de praças públicas podem pedir para ser ocupadas, incluindo uma chamada Tiananmen (da Paz Celestial).

Os 200 milhões de operários fabris, mineiros e trabalhadores da construção chineses são a classe sob maior risco do planeta (perguntem ao Conselho de Estado em Pequim). Seu pleno despertar da bolha ainda poderá determinar se uma Terra socialista ainda é possível ou não.
Mike Davis é ambientalista, historiador e autor do excelente “Planeta Favela” (Boitempo). Seu artigo está disponível aqui.

Leia também: Presente de Natal para os banqueiros europeus

Nenhum comentário:

Postar um comentário